quarta-feira, maio 30, 2007

GENEROS TEXTUAIS

DISSERTAÇÃO
Estrutura fixa: tese – exposta no 1º parágrafo; argumentação - exposta em dois ou três parágrafos; conclusão - parágrafo final; linguagem impessoal (3ª pessoa) e em sentido denotativo; presente do indicativo – tempo verbal característico.

NARRAÇÃO
Há temporalidade – alternância entre status de anterioridade e posterioridade; personagens; tempo: cronológico ou psicológico; espaço; narrador (ou foco narrativo): observador (3ª pessoa), personagem (1ª pessoa) ou onisciente (3ª pessoa); discurso: direto (quando o personagem fala diretamente), indireto (o narrador conta o que foi dito pelo personagem), indireto livre (fusão entre o discurso do narrador e do personagem sem a presença do indicador gramatical – pontuação ou verbo denotativo de fala); verbos flexionados no presente ou no pretérito perfeito do indicativo.

DESCRIÇÃO
O objetivo é a reprodução com palavras de imagens de espaço, personagens, sensações etc.; verbos flexionados no pretérito imperfeito do indicativo; presença de metáforas, comparações, sinestesias, substantivos, adjetivos e verbos de ligação.

ARTIGO DE OPINIÃO
Texto opinativo argumentativo, escrito em 1ª pessoa em que o autor (articulista) expressa sua opinião sobre um tema; estrutura: apresentação geral do tema, seguida de uma breve justificativa, estreitamento - exposição da opinião do articulista sobre o tema - argumentação e conclusão – normalmente construída por síntese da argumentação ou por reforço do ponto de vista.

CARTA
Pode ser pessoal – escrita em linguagem coloquial, tom de conversa íntima, escrita em 1ª pessoa; formal – escrita em linguagem formal, exposição objetiva do assunto, predomínio da denotação; argumentativa – escrita em primeira pessoa, objetiva expor um ponto de vista do remetente sobre um tema, seguida de argumentação e conclusão; aberta - dirigida a uma coletividade, não tem vocativo, mas título que começa coma expressão: carta aberta a (grupo a que ela se dirige); estrutura: local e data, vocativo, texto-assunto desenvolvido, assinatura. A CARTA NÃO PODE SER ASSINADA COM O NOME DO CANDIDATO

CRÔNICA REFLEXIVA
Texto analítico em que o cronista analisa o tema ligado à condição humana; escrito em 1ª pessoa, a crônica não tem estrutura fixa, predomínio da linguagem coloquial, dialogismo com o leitor, que conferem ao texto um tom de conversa íntima; predomínio de recursos estilísticos: metáforas, comparações analogias etc. O assunto é abordado a partir da visão subjetiva do autor.

Nenhum comentário: